See other templatesConheça a loja do crete!

Agenda de Eventos

Artigo escrito pelo Dc.Leonardo Souza - Diretor-Presidente do Projeto IDE de Evangelismo

 Ex 15:22-25: “Depois fez Moisés partir os israelitas do Mar Vermelho, e saíram ao deserto de Sur; e andaram três dias no deserto, e não acharam água. Então chegaram a Mara; mas não puderam beber das águas de Mara, porque eram amargas; por isso chamou-se o seu nome Mara. E o povo murmurou contra Moisés, dizendo: Que havemos de beber? E ele clamou ao Senhor, e o Senhor mostrou-lhe um lenho que lançou nas águas, e as águas se tornaram doces: ali lhes deu estatutos e uma ordenação, e ali os provou.”

     Existem fases em nossas vidas que são realmente difíceis. Nos sentimos exatamente como este povo, em meio um deserto. Ao final de cada dia, sentimos nossa esperança ceder um pouco mais ao desânimo e ao cansaço. É exatamente neste momento, que muitos de nós adotamos um comportamento de fato muito perigoso, o da murmuração.

     A passagem pelo deserto faz parte da nossa trajetória, até Jesus teve de passar por lá. E, como se não bastasse todo Sol, toda cede, toda fadiga… Depois de muito procurar, encontramos algo que aparentemente supriria ao menos uma das nossas necessidades, e só encontramos amargura.

     O povo de Israel, depois de três dias dia de jornada, por não encontrar água, e se frustrando diante das águas amargas de Mara, adotou uma postura de murmuração. Num só momento todo o processo de libertação e de intervenção sobrenatural e poderosa de Deus foi esquecido. As pragas do Egito, o livramento do anjo da morte, a abertura do Mar Vermelho, a celebração pela grande vitória, nada foi considerado. Quando murmuramos diante da adversidade, colocamos a integridade e a fidelidade de Deus em questão. Com os nossos sentimentos, pensamentos, palavras e ações declaramos que Deus não é tão bom o quanto parece ser. O ser humano tem uma facilidade muito grande de esquecer os grandes feitos de Deus.

     Diante da murmuração do povo Moisés clamou ao Senhor, que lhe orientou mais uma vez. Deus sempre dará orientação aos líderes por Ele estabelecidos. Nos dias atuais há muitos líderes que não buscam mais a orientação de Deus. São soberbos e estão inchados de arrogância. A solução para aplacar a murmuração do povo veio de um ato de fé, através da utilização de uma vara, ou galho de árvore, que ao ser lançado nas águas tornaram-nas doces.

     O mesmo Deus que nos libertou e que nos guia, sabe o melhor caminho para nós. Andar por fé é saber que na hora certa ele nos dará a provisão necessária. Ele cuidará de todo o suprimento em nossa jornada. Após o milagre realizado, a Bíblia nos narra que eles partiram para Elim, onde havia doze fontes de água (uma por tribo) e setenta palmeiras. Elim ficava, considerando as variantes dos estudos atuais, acerca de 50 a 200 km de Mara, ou seja, com mais um ou dois dias de viagem eles seriam supridos, porque o Senhor sabia por onde os conduzia. Não acontece o mesmo conosco? Murmuramos pelas situações amargas da vida, quando a solução de Deus já está bem próxima. Muitos confundem também uma água de poço adoçada, com o auge da ação de Deus para o Povo. Deus não tem poço para a nossas vidas, mas Ele possui fontes de águas cristalinas destinadas para suprir todas as nossas necessidades. Quando falamos de poço, falamos de ação humana, quando dizemos fonte, nos referimos em uma ação plena de Deus para as nossas vidas. Poços podem ser entulhados e fechados, entretanto fontes não. Quanto mais tentamos entulhar uma fonte, mais temos a impressão de que mais água ainda está saindo. Talvez você tenha cavado um poço, de onde saíram águas amargas, Deus por amor à você, tornou estas águas doces, para que você possa suportar um pouco mais. Entretanto, os planos de      Deus vão infinitamente além disso. Chegando em Elim, as 12 tribos não dividiam mais 3 poços de água, mas havia uma fonte para cada Tribo, e ali podiam tomar água em abundância.

    Deixemos qualquer manifestação de murmuração contra o Senhor, e no lugar disso tenhamos sentimentos e atitudes de celebração e gratidão, num ato de fé, que confia apesar de não perceber ou ver a solução que se encontra logo adiante.

     A Bíblia diz que só três dias de murmuração foi o que bastou para que o povo chegasse a um lugar onde eles nunca desejaram chegar naquele momento de sede. Não foi DEUS que levou o povo às águas de Mara, mas sim as murmurações deles, porque DEUS não dá água amarga para ninguém.

     Ao invés de murmurar, agradeça!!! Deus tem cuidado de você. O deserto faz parte da sua trajetória, Deus não faz nada sem um propósito, confie em Deus e não fique se contentando com água de poço.. Deus reservou uma fonte exclusiva para suprir as suas necessidades. Creia nisto!!!

     Que Deus continue falando poderosamente ao coração dos irmãos!!

Leonardo Souza

Diretor-Presidente – Projeto Ide

www.missoesprojetoide.com.br

Categoria: Notícias em Destaque

Categoria: Notícias

Categoria: Missões

Topo