See other templatesConheça a loja do crete!

Agenda de Eventos

 

Resultado de imagem para bancada evangélica 2016

Encontro na embaixada serviu para demonstrar apoio de parlamentares ao Estado Judeu

 

Um grupo de parlamentares participou nesta quarta-feira (3), de um almoço na Embaixada de Israel em Brasília. Havia membros das bancadas Evangélica e Católica, bem como da Frente Parlamentar em Defesa da Vida e da Família. O evento contou com a presença do novo Embaixador de Israel, Yossi Avraham Shelley.

 O objetivo declarado do encontro era os deputados demostrarem sua insatisfação e repúdio à posição do governo Temer, que manteve a prática do PT de ficar a favor dos Palestinos em detrimento de Israel.

No último dia 2, o Brasil deu novo voto favorável à resolução da Unesco – Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura – que nega a soberania de Israel sobre a cidade de Jerusalém.

Um grupo de parlamentares participou nesta quarta-feira (3), de um almoço na Embaixada de Israel em Brasília. Havia membros das bancadas Evangélica e Católica, bem como da Frente Parlamentar em Defesa da Vida e da Família. O evento contou com a presença do novo Embaixador de Israel, Yossi Avraham Shelley.

 O objetivo declarado do encontro era os deputados demostrarem sua insatisfação e repúdio à posição do governo Temer, que manteve a prática do PT de ficar a favor dos Palestinos em detrimento de Israel.

No último dia 2, o Brasil deu novo voto favorável à resolução da Unesco – Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura – que nega a soberania de Israel sobre a cidade de Jerusalém.

Fonte: Gospel Prime

Categoria: Notícias em Destaque

Categoria: Notícias

  • Evangélicos são assaltados durante culto no ES

    Cerca de 100 pessoas participavam do encontro quando os bandidos entraram na igreja e renderam a todos.

    Leia mais...
     
  • Universidade evangélica se fortalece na Coreia do Norte, apesar da perseguição religiosa

    Universidade evangélica se fortalece na Coreia do Norte, apesar da perseguição religiosa

    Com um conjunto de condições, a liderança norte-coreana permitiu que a universidade começasse a operar em outubro de 2010 e desde então tem crescido na região

    Leia mais...
     
  • Rabino avisa judeus para voltarem a Israel: “A Europa está perdida”

    Levantamento no Reino Unido mostra número recorde de casos de antissemitismo 

    Os recentes atentados de terroristas muçulmanos na Europa geraram um clima de apreensão em seus cidadãos. Embora somente o de Barcelona tenha sido amplamente noticiado, ocorreram outros atos similares na Alemanha e na Finlândia na mesma semana.

    O rabino-chefe de Barcelona, Meir Bar-Hen declarou publicamente que as autoridades europeias não estão “reagindo adequadamente ao problema”. Ele alertou a comunidade judaica para os perigos do islamismo radical e disse que está estimulando os judeus a voltarem para Israel.

    “Não pensem que devemos ficar aqui para sempre. Encorajo você a comprar imóveis em Israel… Não repitam o erro dos judeus argelinos e dos judeus venezuelanos. É melhor ir logo, antes que seja tarde demais. A Europa está perdida”, concluiu o rabino.

    Ele acredita que as autoridades estão relutantes em enfrentar ativamente o terrorismo islâmico. Ao assumir a responsabilidade pelo atentado em Barcelona, o Estado Islâmico fez questão de frisar que o ataque era contra “cruzados [cristãos] e judeus”.

    Antissemitismo cresce no continente

    As palavras de Bar-Hen ecoam um sentimento crescente em várias partes da Europa.

    Uma pesquisa encomendada pela Campanha Contra o Antissemitismo, movimento judaico no Reino Unido, realizou entrevistas com mais de 10 mil judeus britânicos. Mais de um terço deles (37%) pensa em mudar para Israel por causa da perseguição religiosa.

    O relatório, publicado semana passada, reúne dados desde 2015. A comunidade judaica do Reino Unido registrou 767 ataques antissemitas no primeiro semestre de 2017 – a maior média mensal já registrada desde que esse monitoramento começou, em 1984. No ano passado foram 1.309 incidentes, número 36% maior em relação à contagem de 2015.

    Ao mesmo tempo, o doutor Efraim Zuroff, especializado no monitoramento de movimentos antissemitas, disse que as recentes demonstrações de ódio contra judeus nos Estados Unidos são pequenas se comparadas com o que acontece em países como Estônia, Letônia e Lituânia.

    Por lá, segundo ele, as marchas públicas exigindo que os judeus vão embora são bastante comuns, mas não recebem a mesma atenção da mídia.

    Fonte: Gospel Prime

    A imagem pode conter: texto

Categoria: Missões

Topo