Menina que teria apenas 15 minutos de vida completa 15 anos: `Deus no controle´

Médicos indicaram que Heloíza fosse abortada, mas sua mãe não desistiu da vida

Heloíza Carmona tem uma linda história para contar. Ela é a prova viva de que vale a pena dizer sim para a vida e não para o aborto. Aos seis meses de gestação, sua mãe teve a triste notícia de que ela nasceria com hidrocefalia e foi indicada pelos médicos a abortar. Mas, ela não desistiu e prosseguiu com a gravidez. Após o nascimento, os médicos deram apenas 15 minutos de vida, mas recentemente ela teve uma linda festa de 15 anos, contrariando a medicina.

“Minha luta pela vida começou quando eu era bem pequenininha, logo que nasci. Com 12 horas de vida passei por uma cirurgia delicada para implantar uma válvula no cérebro. Ela drena a água que se acumula na minha cabeça, devido à hidrocefalia, e ajuda a me manter viva. A cirurgia era de risco, eu poderia ficar com sequelas graves ou em estado vegetativo”, disse Heloíza em entrevista para a Folha de São Paulo.

Top

Ela conta que em 15 dias teve de voltar para implantar uma nova válvula, pois a primeira havia apresentado um problema. Heloíza conta que desde então, vive uma vida normal e que alguns de seus “defeitinhos” não a impedem de fazer nada. Nada mesmo. Logo cedo ela foi convidada por um amigo jornalista para escrever crônicas para o jornal da cidade.

“Sou apaixonada por ler e escrever. E foi a partir daí que surgiu meu gosto pela escrita. Quando eu tinha nove anos, um jornalista amigo da minha mãe me viu escrevendo e quis ler a minha crônica. Ele gostou tanto que me convidou para escrever para o jornal dele e uma vez por mês um texto meu é publicado”, esclareceu.

Enfrentando a morte mais uma vez

Tudo estava indo bem, quando Heloíza precisou juntar suas forças novamente para lutar contra a morte. “No início do ano passado comecei a passar mal, desmaiava na rua e sentia dores muito fortes num dos braços. Não queria acreditar, mas minha válvula estava dando problema de novo e eu teria que trocá-la. Mais uma vez eles iam ‘abrir’ a minha cabeça. E lá fui eu para o hospital”, explicou.

“Me internei e em poucos dias já passei pelo procedimento. Sabia que a cirurgia era complicada e que eu tinha 50% de chance de vida. Poderia voltar sem falar, andar, em estado vegetativo ou até mesmo não voltar. Fiquei três dias sem sentir as pernas, pensei que iria usar uma cadeira de rodas, mas, mais uma vez, contrariei as expectativas e me recuperei bem. Saí de mais essa sem sequela, estou mais forte do que nunca”, disse.

“Deus tem o controle de tudo e acredito muito Nele. Ele é muito bom e se eu estou aqui até hoje é porque Ele ainda não quis desligar o botãozinho que me mantém viva. Só tenho que aproveitar e agradecer. A gente não pode ficar reclamando de um negocinho pequenininho que não está dando certo. Tem gente que tem problemas muito maiores. A gente tem que ser feliz”, comentou a garotinha.

Em entrevista para o G1, ela disse: “Deus pode até fechar uma porta, mas ele vai abrir três. Nada é por acaso, Deus sempre tem um propósito na vida da gente” disse a escritora. Sim, Heloíza está prestes a lançar seu primeiro livro que reúne parte de suas crônicas publicadas no jornal da cidade. E com o dinheiro arrecadado ela queria fazer uma bela festa de 15 anos. No final das contas, o livro foi doado pela gráfica quando soube de sua história e a festa teve a ajuda da jornalista Daniele Fernandes, repórter da TV Record de Rio Preto, além de outros colaboradores que deixaram a festa perfeita.

Fonte: CPAD News

Sobre o Autor

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *